Contrabaixo - Tão importante quanto, numa banda! mas uns pensam que não!...saiba mais

Atualizado: 13 de Jul de 2019



Muita gente que curte uma boa música de qualquer estilo veem os integrantes numa banda tocando e para os leigos ou até músicos experientes menosprezam a figura do baixista que normalmente é o cara mais sério ..concentrado... a banda está lá performando e o baixista no Mundo da Lua nem aí com o que está acontecendo ... reparem e me digam....uns falam que o som não aparece ou não conseguimos identificar numa mixagem o contrabaixo.


Mas é um dos instrumentos tão ou mais importantes numa banda. O som grave ou "groove" que o baixo proporciona é que dá a base da música, o que nos incita a dançar ou curtir a música.. ele dá o ritmo, o balanço da música e cor ao bumbo... é a cozinha... como se diz no jargão musical...

Por isso vamos dedicar uma homenagem a esse personagem as vezes esquecido... "O Baixo"


Uma pequena introdução...


Todo mundo conhece o baixo acústico em sua forma original do contrabaixo em uma orquestra, que pode ser tocada com um arco ou um dedo escolhido. O contrabaixo também é bem estabelecido no mundo do jazz. Muitos virtuosos contrabaixistas sempre garantiram seus lugares na história da música, por exemplo, Scott LaFaro, Dave Holland, Eddie Gomez, Paul Chambers e John Patitucci, entre outros. O contrabaixo também foi usado extensivamente em músicas rock antigas como Rock'n'Roll e Rockabilly , e ainda é usado nesses gêneros como um elemento estilístico autêntico. O contrabaixo foi desenvolvido a partir da violona do século XVI, o membro de menor sonoridade da família viola da gamba. O moderno contrabaixo orquestral costuma ter até 1,8 metro de altura. Geralmente tem quatro cordas , mas também existem cinco versões de strings. Em alguns modelos de quatro cordas, o alcance pode ser estendido para baixo através do uso de um mecanismo especial (extensão C), uma alavanca mecânica que torna o som da corda mais baixa ainda mais baixo.

O baixo elétrico tornou-se o padrão no rock e na música pop a partir da segunda metade do século passado. Até mesmo os músicos de jazz costumam usar baixos elétricos em estilos amplificados, como o jazz-rock ou a fusão. Tudo o que você ouviu falar sobre guitarras elétricas sobre os tipos de madeira, construção e elétrica, geralmente também se aplica aos baixos. Certas diferenças existem nas áreas de captadores, mecanismos de sintonização, pontes e eletrônica, que foram adaptadas para o tamanho maior do baixo e suas características sonoras.

A madeira ainda é o material mais utilizado na produção de baixo elétrico.

Sem falar nos amplificadores que como na guitarra levantam o timbre do instrumento tão famosos como a Ampeg , Hartke, Gallien Krueger e outros...

No Studio 161 temos a marca Hartke e investindo mais na familia de equipamentos com a Ampeg em breve...

A variedade de estilos de baixo foi desenvolvida em paralelo às guitarras elétricas. Um número de estilos padrão testados e aprovados foram inventados por fabricantes clássicos como Fender, Gibson, e Ernie Ball e foram mais tarde imitados e modificados por outras empresas. O Fender Jazz Bass é um bom exemplo disso: ele foi copiado inúmeras vezes nos mínimos detalhes, e vários fabricantes o modificaram para se encaixar em sua linha de instrumentos.


Fender Precision Bass 05 cordas

O baixo padrão tem quatro cordas afinadas no E A D G , o que corresponde às quatro cordas mais baixas de uma guitarra. No entanto, as cordas graves são muito mais grossas, porque são afinadas uma oitava abaixo. Afinar um baixo funciona exatamente como uma guitarra.

Alguns baixista avançados usam baixos com cinco ou até seis cordas. Isso foi iniciado no final dos anos 1970 por virtuosos como Anthony Jackson. Um baixo de cinco cordas geralmente tem uma corda B baixa , enquanto um modelo de seis cordas adiciona uma corda C alta .









Técnicas...


Pizzicato (dedo colhendo)

O estilo mais comum de tocar no baixo é o pizzicato (finger picking). Assista a qualquer solo de baixo da banda The Who. O baixista John Entwistle é um verdadeiro mestre dessa técnica.


Com palheta (plectro)

Usar um plectro é outra técnica popular. É usado principalmente em rock , hard rock e heavy metal , mas também pode soar bem em estilos de funk.


Slap

Outra técnica que ainda é muito popular é o slapping (slap bass). O baixista usa o polegar para bater nas cordas, o que produz um som percussivo muito forte . Alguns baixistas do funk alcançam velocidades incríveis com essa técnica. Slapping requer um alto nível de precisão.


Conclusão....

O baixista desempenha um papel muito importante em uma banda. Sua tarefa é apoiar o ritmo da banda. Mas além de estabelecer uma base sólida, o baixo permite solos expressivos com diferentes técnicas de execução, o que pode render ao baixista alguns fãs dedicados, como demonstraram baixistas famosos como Flea do Red Hot Chili Peppers.


Mas não dá pra passar ... sem uma piadinha...para os Baixistas de Plantão....

"Eu acho que ele vai falar agora Chefe" Eu sei disso Todo mundo começa a falar durante um solo de baixo"

Quer conhecer mais sobre o Studio 161, o mais novo estúdio de ensaios de SP entre no nosso site www.161studio.com.br ou nas redes sociais Facebook e Instagram ou no nosso canal do Youtube ... estamos no Tatuapé. #estudionotatuape #estudiodeensaios #amamosmusica


Curta e Compartilhe....





ASSINE NOSSA LISTA

E NUNCA PERCA UMA NOVIDADE
  • Youtube
  • Whatsapp